Vivemos em um mundo predominantemente conectado. Smartphones, notebooks e tablets são usados a todo o momento. Até mesmo quando se trata de violações da lei, já que esses dispositivos podem ser usados como provas durante uma investigação digital para apurar supostos crimes.

Para lidar com esse tipo de situação, surge então os profissionais da computação forense, uma área que liga o direito à informática. Que vem conquistando seu espaço e atraindo as pessoas cada vez mais.

Mas do que se trata exatamente a área de Forense Digital? 

É uma área que lidera a aplicação de técnicas de investigação científica a crimes e ataques digitais. É um setor crucial do direito e dos negócios na era da Internet. 

Uma análise forense digital carrega um processo com procedimentos como a identificação, preservação, exame e análise de evidências digitais, adaptadas a conceitos científicos aceitos e validados. O termo ainda pode ser usado para descrever qualquer tipo de investigação de ataques cibernéticos, mesmo que a aplicação da lei ou o sistema judiciário não estejam envolvidos.

Como estudar e se especializar?

Existem várias maneiras de se especializar em forense digital. Para aqueles que possuem curso superior, o melhor caminho é buscar por uma pós-graduação através de cursos de computação forense e perícia digital. 

No entanto, há a especialização técnica também, que é altamente recomendada para quem ainda não tem graduação. O profissional que deseja se tornar um investigador forense precisa ter conhecimento na área de TI, inglês avançado, comunicação verbal, escrita e raciocínio lógico.

Além disso, é necessário realizar cursos preparatórios para a área, como fundamentos de forense digital. Esse curso é recomendado para iniciantes que desejam entender como funciona melhor o cenário.

Há também o curso de computação forense, que foca nos aspectos práticos da profissão. Nele, o aluno desenvolverá competências de coleta e análise de dados para recolher evidências. O usuário aprenderá ainda a manusear ferramentas específicas para a área, além de prepará-lo para tirar certificações de perito.

Quem emprega? Há vagas para estagiários?

Hoje o ramo é bem amplo, existem vários concursos com foco na área e empresas privadas que buscam profissional deste tipo. Empresas do ramo de cartões de crédito, bancos, setores de fraude, auditoria, telefonia, telecomunicações, praticamente todos os ramos necessitam desses profissionais. 

Da mesma forma como precisam de estagiários, que buscam pelo seu espaço no mercado. As corporações estão cada vez mais investindo no aprendizado jovem para as novas tecnologias.

Este é um mercado em constante expansão, a onda está crescendo e quem acompanha-la pode se dar bem. O salário para um analista júnior começa na faixa de R$ 2500,00. Para um iniciante é uma boa, não acha?

A investigação digital é um campo muito vasto e as pessoas que desejam se aventurar em iniciar uma carreira na área devem estudar muito. A principal forma de se especializar no assunto é procurar por empresas confiáveis no mercado, fazer cursos preparatórios e tirar as devidas certificações.

Jader Rodrigues

Jader Rodrigues

Diretor Executivo da RootSec, empresa especializada em treinamentos e eventos digitais nas áreas da tecnologia e segurança da informação.