Melhores Linguagens de Programação para Hackers

Melhores Linguagens de Programação para Hackers

Cada aplicação ou site que você usa é programado em uma linguagem particular computacional, popularmente conhecida como programação, em que Hackers e/ou Crackers tenta invadir através de erros e falhas, mas para isso é preciso primeiramente entender a linguagem do alvo e, em seguida, explorar sua fraqueza para que possa efetuar a invasão.

 

Qual linguagem de programação é necessária para hackers?

Há muitas linguagens de computador hoje em dia, mas poucas são necessárias para a pratica do “Hacking”, pois na maioria dos casos depende do alvo. Existe basicamente três seções – Web Hacking, Exploit Writing & Reverse Engineering e cada um delas requer codificação diferente.

 

1. Web Hacking

Vamos dizer que você está interessado em hacking aplicações web e sites, então você terá que aprender web codificação HTML, CSS e JavaScript, porque todos os sites são criados usando esses idiomas e sabendo que vai permitir que você a entender as coisas muito facilmente.

Vamos dizer que você está interessado em “hackear” (invadir) aplicações web e site, então você terá que aprender codificação web, tais como: HTML, PHP, SQL, JavaScript, porque a maioria dos sites são criados usando um desses tipos de linguagem, no qual vai permitir você a entender as coisas facilmente.

 

HTML: É uma das mais fáceis e amplamente utilizada, a linguagem de marcação estática está presente em quase todos os websites que você vê no seu browser. É recomendado aprender HTML para o entendimento das ações web, respostas e lógica.

 

JavaScript: JS é uma linguagem de programação web usada principalmente em sites, para uma melhor interface com o usuário e resposta rápida. É preciso aprender essa linguagem cuidadosamente, pois ajuda a entender o mecanismo do lado do cliente que é essencial para encontrar falhas.

 

PHP: A linguagem dinâmica, que é responsável pela gestão web, apps e banco de dados. O PHP é considerado uma das linguagens mais essencial, porque controla tudo no site e servidor, como um capitão de um navio. Aconselha-se a aprender o PHP por completo.

 

SQL: O SQL é responsável pelo armazenamento e gerenciamento de dados sensíveis e confidenciais, tais como credenciais do usuário, informações pessoais e até mesmo dados bancários, e portanto, o SQL é a parte mais atacada de um site.

 

2. Exploit Writing

Python: Dizem que um hacker deve conhecer a linguagem Python, pois seu núcleo serve para a criação de exploits e ferramentas. Especialistas em segurança da informação indica a dominar Python, pois proporciona maior flexibilidade e pode ser usada em muitos locais.

 

Rubi: Uma linguagem simples, mas complicada por ser orientada a objetos. Ruby é muito útil quando se trata de Exploit Writing. Ele é usado para scripting meterpreter, e saiba que o Metasploit framework em si é programado em Ruby.

 

3. Reverse Engineering (Engenharia Reversa)

Assembly: É uma linguagem de programação de baixo nível, seu código é diretamente entendido pelo hardware. Se você estiver interessado sobre engenharia reversa, começar pela linguagem Assembly vai ser muito útil.

 

Conclusão

Mencionei apenas sete linguagem de programação, mas isso não é tudo, embora ninguém nunca irá aprender todas elas 100%, o que você deve saber é um pouco de cada e o seu essencial e o mais importante é o seu alvo. Se o seu alvo está em uma linguagem ASP, em seguida, você precisa saber ASP. Você acha que qualquer outra linguagem de programação é essencial para os hackers? se sim, então por favor, comente abaixo.

Share

Graduando em Engenharia da Computação, sou Entusiasta e Apaixonado pela
Tecnologia e (in)Segurança da Informação.

  • ̶M̶ä̶f̶f̶i̶a̶ ̷M̷ä̷f̷f̷i̷a̷

    alguém pode me ajudar, por onde devo começar e quais livros comprar

    • Daniel NerdDownloads

      Comece sempre pelo começo, livros você pode comprar todos e ler todos, mas lembre-se sempre de praticar o seu conhecimento, senão não valerá de nada os ESTUDOS!!!

  • Daniel NerdDownloads

    Faltou Delphi, agora não falta mais…