Cloud Computing: Alertas para assegurar o sucesso na jornada para nuvem

Tecnologia da Informação

Cloud Computing: Alertas para assegurar o sucesso na jornada para nuvem

Jader Rodrigues
Escrito por Jader Rodrigues em 15 de outubro de 2020
Junte-se a mais de 10.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Um dos maiores problemas das empresas, é sem dúvidas, a segurança no armazenamento e gestão de informações. Visto como solução, o armazenamento de dados na nuvem, vem sendo uma das tecnologias que promove essa mudança na maneira de como são armazenadas e geridas as informações das corporações.

Apesar de parecer um assunto complicado e contar com uma grande variedade de opções e metodologias, o armazenamento de dados em nuvem é uma ferramenta interessante para empresas de pequeno, médio ou grande porte.

É comum, quando desenvolvido um projeto de sistema, ter de lidar com migração de dados. Por isso, é essencial prestar atenção em todo o processo e, sempre que possível, realizar uma boa análise de como conduzir essa migração sem surpresas.

Para facilitar sua jornada, listamos 3 dicas para realizar a migração de dados para a nuvem de forma segura e eficiente. Entenda:

Planeje-se e registre tudo!

Um bom planejamento pode não só prevenir possíveis problemas, mas também fazer com que tudo caminhe de maneira mais simples e objetiva. É ideal que o planejamento acompanhe o processo de desenvolvimento, assim, os tipos de dados podem ser tratados previamente, evitando possíveis tratamentos no momento da migração, economizando seu tempo.

A documentação é uma das etapas mais importantes quando se trata de desenvolvimento de qualquer tipo de aplicação, principalmente no trabalho em equipe. Assim, tudo que será migrado e o que não será migrado pode ficar explícito em um documento com os motivos para cada item.

Organize uma auditoria e o mapeamento de dados

Uma auditoria de dados vai analisar a qualidade das informações em sua origem. O foco é conduzir a análise de maneira a encontrar problemas típicos, como inconsistências de colunas ou falta de dados.

Já o mapeamento, é importante entre as fontes de origem dos dados e as transformações necessárias para que a migração ocorra da melhor maneira. Isso ajuda a equipe de migração a decidir se retorna ao momento de análise e quais medidas podem ser tomadas para a resolução de possíveis problemas que possam surgir.

Crie ciclos de extração e carga

Realizar a migração completa de uma única vez pode ser a alternativa em alguns casos, como quando se trata de mudança apenas de um servidor para outro. Quando se migram dados de um sistema para outro, é necessário realizar a persistência dos dados, para evitar problemas inesperados.

A criação de ciclos no momento da migração vai ajudar definindo quais dados serão “exportados” e “importados” de cada vez, o que possibilita realizar o tratamento dos dados passo a passo, minimizando o choque e possíveis problemas no momento de implementação.

Após toda a análise e mapeamento do processo de migração, é necessário atentar aos testes. Mesmos com todos os dados já salvos e tratados em uma nova base de dados e um novo software, os testes devem ser realizados constantemente — se possível, por uma equipe de testes que possa fazer todas as validações necessárias.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *