fbpx

Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar
Governança de TI: 5 modelos que vão revolucionar sua empresa

Tecnologia da Informação

Governança de TI: 5 modelos que vão revolucionar sua empresa

Jader Rodrigues
Escrito por Jader Rodrigues em 4 de março de 2021
Junte-se a mais de 10.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Entenda o conceito da estratégia e como cada uma pode complementar o gerenciamento do seu negócio

A tecnologia nos dias de hoje é conhecida como uma peça-chave para o funcionamento de todos os setores, processos e operações de uma empresa. Ela viabiliza a maior eficácia e integração desses elementos, o que faz com que a governança de TI se torne cada vez mais importante para as organizações.

O investimento em TI deixou de ser uma tarefa exclusiva das companhias de grande porte. No sistema empresarial dos dias atuais, adotar ferramentas tecnológicas é visto como uma etapa crucial para qualquer empresa que queira aumentar a sua produtividade e alcançar destaque no mercado.

Então surge a Governança de TI: uma maneira de alinhar a estratégia de TI com a de negócios para aprimorar a tomada de decisões, aproveitar os recursos tecnológicos disponíveis e conseguir resultados cada vez melhores.

Conheça três modelos de governança de TI e como eles podem revolucionar a sua empresa:

Existem diversos modelos que podem servir como base na hora de aplicar um programa de governança de TI em uma organização. Essas “melhores práticas” também são chamadas de frameworks. Os três principais frameworks aplicados na governança e gestão de TI são COBIT, ITIL e Lean IT.

COBIT:

Framework focado em governança de TI, criado em 1994 pelo ISACA. Se encontra em sua quinta versão “COBIT 5 Modelo Corporativo para Governança e Gestão de TI da Organização” que propõe cinco domínios fundamentais que estão divididos entre governança e gestão:

Domínio de governança: avalia, dirige e monitora (EDM) os recursos de TI.

Domínios de gestão: que trabalha com quatro bases, que são:

alinhar, planejar e organizar o setor de infraestrutura da melhor forma possível (APO); construir, adquirir e implementar novas soluções conforme as demandas e metas da empresa (BAI); entregar serviços e suporte ao usuário de qualidade (DSS); monitorar, avaliar e analisar a melhor forma de direcionar as atividades de gestão e apoio do setor de TI, conforme as metas e necessidades de cada área (MEA).

O COBIT 5 fornece orientação por meio dos 37 processos distribuídos nos cinco domínios — 1 de governança e 4 de gestão. Eles ajudam na identificação das práticas mais adequadas à realidade e aos objetivos específicos da empresa.

Além disso, têm como base a análise das práticas, o uso de indicadores de performance — KPIs (Key Performance Indicators), a implementação de KGIs (Key Goal Indicators) e CSFs (Critical Success Factors) — e da correção de não-conformidades. Dessa forma, fica mais fácil dividir e delegar tarefas, além de avaliar eficientemente o grau de interação entre os processos.

ITIL:

A Information Technology Infrastructure Library foi desenvolvida no final da década de 1980 pela CCTA. Corresponde a um conjunto de boas práticas para gerenciamento de serviços de TI. Atualmente em sua terceira versão, a ITIL determina que o gerenciamento de serviços de TI seja estruturado com base no ciclo de vida dos serviços. Esse ciclo compreende 5 etapas:

  1. estratégia;
  2. desenho;
  3. transição;
  4. operação;
  5. melhoria contínua.

É preciso saber que a ITIL não é uma metodologia. Deve ser vista como um guia de referência para a gestão dos serviços de TI. Assim, empresas que queiram aplicar a ITIL devem seguir as orientações gerais e então desenvolver processos específicos dentro do contexto da organização.

Lean IT:

Modelo que aplica conceitos do pensamento Lean (Lean Thinking) e do Sistema Toyota de Produção na área da TI. Seus principais objetivos são a redução de desperdícios, melhoria contínua e aumento da qualidade e do valor entregue ao cliente. Gerando mais produtividade e um melhor aproveitamento dos recursos disponíveis para o trabalho.

O Lean possui cinco bases para estruturar rotinas:

  1. especificação do valor;
  2. identificação do fluxo de valor;
  3. garantia do fluxo contínuo;
  4. demanda puxada;
  5. busca pela perfeição — melhoria contínua.

Como a adoção do Lean exige uma grande mudança na cultura organizacional e no comportamento dos colaboradores, a implementação do Lean IT em uma corporação é conhecida como Lean Transformation Program (Programa de Transformação Lean).

Passando por uma série de etapas para que os profissionais compreendam a importância da maneira de gerenciar as rotinas de trabalho. Após a implementação da metodologia Lean, a companhia terá um setor de TI melhor estruturado e capaz de executar rotinas com alto valor agregado.

Ao adotar um modelo como guia para a governança de TI, a empresa deve avaliar e considerar todos os fatores que impactam no sucesso das estratégias de TI. Isso envolve as especificidades da infraestrutura, as demandas de cada usuário, a cultura organizacional do negócio e a estrutura de suas rotinas. Assim, será desenvolvida uma estratégia empresarial única para a companhia.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *